O que significa e como calcular o retorno do investimento em energia solar

7 minutos para ler

Toda aplicação financeira deve ser analisada com atenção antes de ser tomada uma decisão definitiva, e isso não é diferente com a tecnologia fotovoltaica. Com os custos de implantação cada vez mais baixos e com amplo crescimento de investimentos por parte dos setores públicos e privados nessa área, o retorno do investimento em energia solar se tornou mais rápido nos últimos anos.

Neste texto, falaremos tudo a respeito desse investimento, explicando como se dá esse retorno, quais são as variáveis envolvidas nele e qual o tempo médio em que ele ocorre. Para obter essas informações, continue lendo este artigo e descubra todas as vantagens desse investimento!

O que é o retorno do investimento em energia solar?

A determinação do retorno sobre o investimento pode ser representada pelo ROI, que é a sigla em inglês de Return On Investiment e significa “Retorno Sobre o Investimento”. Outra forma de obter essa informação é pelo payback, que está relacionado ao ROI, apesar de não ser a mesma coisa.

Na prática, o payback mostra para os investidores qual será a espera para que um determinado investimento tenha retorno, ou seja, comece a gerar lucratividade. O ROI, por sua vez, é a rentabilidade do investimento e é dado em porcentagem do retorno em relação ao investimento inicial. Em se tratando de energia solar, é importante calcular o ROI para que os diversos consumidores possam ter ideia da rentabilidade de um sistema fotovoltaico. Dessa maneira, é possível saber quais são os resultados esperados ao adquirir essa tecnologia.

Além disso, esse tipo de informação tem, ainda, a utilidade de servir como um fator persuasivo para atrair novos investidores que contribuam para o desenvolvimento dessa tecnologia. A mesma coisa pode se dar com investidores que passam a enxergar essa área como uma grande oportunidade.

Quais são as variáveis que influenciam esse investimento?

Entenda os principais fatores e como eles influenciam o retorno.

Tarifa energética e inflação

Um dos fatores que tornam a energia solar um investimento muito vantajoso é a tarifa energética. Isso porque este é um dos motivos de cada vez mais pessoas buscarem formas alternativas de obter eletricidade: os preços cada vez mais impraticáveis desse serviço que tornam as contas de luz astronômicas.

As tarifas de energia sofrem constantemente variações, culminando em uma inflação de preços. Essas flutuações se devem a alguns fatores, como o aumento do consumo energético por parte dos fornecedores, a diminuição da produção das hidrelétricas, a estiagem, entre outros. Em um cenário em que cada vez mais pessoas dependem da energia elétrica, poupar o gasto com a fonte usual de energia é uma forma inteligente de lucrar.

Comparação com outros tipos de investimento

Ao pensar em fazer qualquer tipo de investimento, é interessante comparar com outros para ver como o seu capital renderia e quais são as vantagens que mais são adequadas à sua realidade. Pensando nisso, podemos tomar algumas aplicações de renda fixa como exemplo.

Para fins de comparação, considere que o custo de um determinado sistema fotovoltaico é de R$ 25.000 e que tal sistema produz 500 kWh por mês. Vamos considerar também uma tarifa energética de R$ 0,85/kWh ao mês. Levando em conta que o proprietário desse sistema não dependerá do fornecimento de energia externo, a economia proporcionada será de R$ 5.100 anualmente. Tal resultado foi obtido multiplicando a produção mensal do sistema, a tarifa energética e o número de meses do ano.

Powered by Rock Convert

Se o capital utilizado para adquirir o sistema fosse investido no Tesouro Prefixado (LTN), no dia 01/09/2019 com vencimento em 15/06/2025, o valor líquido para resgate seria de R$ 32.947,09, ou seja, um rendimento de pouco mais de R$ 1.600 por ano. Tal resultado pode ser obtido utilizando a calculadora do Tesouro Direto, que leva em consideração uma Taxa do Papel na Compra de 0,02% ao ano para o título em questão.

Sendo assim, é possível mensurar que um sistema fotovoltaico tem maior rentabilidade, sendo uma variável muito importante a se considerar no momento de investir.

Localização e potencial solar

Para a produção de energia fotovoltaica, é necessária a incidência dos raios solares sobre o painel, para que eles sejam posteriormente transformados em eletricidade. Dessa forma, essa tecnologia é mais viável em regiões de grande insolação. O cuidado que se deve ter é em regiões com longos períodos de céu nublado no inverno, porque isso diminui a eficácia da tecnologia.

Mas, mesmo que o Brasil, em sua extensão continental, tenha uma certa diversidade de insolação nos diferentes estados, ainda se trata de um país tropical com grande vantagem em relação ao potencial solar. Para entender melhor isso, podemos comparar com a Alemanha, um dos países mais avançados no uso de energia solar.

O território alemão conta com uma irradiação que varia entre 900 e 1.250 kWh/m², enquanto o Brasil tem números entre 1.500 e 2.400 kWh/m². O pior valor de potencial solar brasileiro está localizado no Paraná e, mesmo assim, tal número é superior ao potencial mais otimista do país europeu. Assim, produzir energia solar em terras tupiniquins é uma ação viabilizada pela vantagem do recurso natural, a fonte solar.

Área disponível para instalar

Em geral, os módulos fotovoltaicos são instalados na parte superior das casas, onde a inclinação favorece a incidência do sol. Outro aspecto a ser considerado é a presença de elementos que possam fazer sombra ou prejudicar a passagem dos raios solares. Dessa maneira, é necessário que o espaço seja livre de chaminés e antenas, por exemplo. Dependendo das condições, pode ser necessário podar a vegetação no entorno.

O importante, nesse caso, é entender que quanto mais área disponível para instalação dos painéis, mais eletricidade é gerada, e melhor é o retorno do investimento em energia solar. Assim, além dos telhados e coberturas das edificações, é viável fixar os equipamentos em uma parte vazia do terreno ou no próprio estacionamento.

Qual a média de tempo para o retorno do investimento em energia solar?

O cenário de energia solar tem se tornado cada vez mais vantajoso para os consumidores. Se houve um tempo em que essa era uma tecnologia quase inacessível para a maioria das pessoas, atualmente, isso é bem diferente. Além do barateamento dos equipamentos, existem linhas de financiamento próprias para energia renovável, que facilitam o pagamento.

Considerando o sistema que citamos anteriormente, que gera uma economia de cerca de R$ 5 mil, em cinco anos, o sistema se paga. A vida útil dessa tecnologia é de 25 anos, mas existem sistemas que estão em funcionamento há mais de 30. Por isso, a lucratividade é de, pelo menos, 20 anos.

Pronto! Agora, você já sabe como ocorre o retorno do investimento em energia solar e como essa é uma aplicação financeiramente vantajosa. Lembre-se de que a energia solar contribui para a preservação ambiental, por não ser poluente e por poupar o uso de outras fontes não renováveis.

Se você gostou deste artigo, assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos assim na sua caixa de entrada!

Powered by Rock Convert
Posts relacionados